Boucheron Exquises Confidences, Philippe Tournaire Solitaire Village Rond Grenat e anel em platina, brilhantes e rodolita

Boucheron Exquises Confidences, Philippe Tournaire Solitaire Village Rond Grenat e anel em platina, brilhantes e rodolita

A palavra granada vem do latim granatus, que significa grão. A granada foi nomeada assim por sua semelhança, em forma e cor, com a semente madura da punica granatum: grenat em francês, granada em espanhol, pomegranate em inglês e curiosamente romã em português. Em inglês, ela também revela a mesma idéia: garnet vem do inglês medieval gernet e significa vermelho escuro. Esta cor vem da presença de ferro e manganês em sua composição química.

A fruta

A fruta

Ombreras e fivela anglo-saxônicas do século 7 em cloisonné-granada, British Museum

Ombreiras e fivela anglo-saxônicas do século 7 em cloisonné-granada, British Museum

Esta gema é conhecida e utilizada desde a Idade do Bronze, mas foram os egípcios que souberam explorar sua beleza em adornos. As granadas vermelhas foram muito utilizadas no mundo romano e a evolução do trabalho com ela deu origem a um tipo especial de cloisonné. O cloisonné-granada aparece como uma variação da técnica criada na Antiguidade, onde fitas e fios de metal eram utilizados para dividir em pequenas partes uma peça e essas partes eram preenchidas ora com pasta de vidro colorida, ora com gemas e mais tarde com esmalte. Como a granada representava o sacrifício de Cristo para os primeiros cristãos ainda durante o Império Romano, era uma gema que este grupo gostava de ter presente em seus adornos, como forma de discretamente demonstrar sua crença. Acredita-se que a idéia de usar granadas em cloisonné formou-se no norte da Europa com a chegada de presentes diplomáticos criados por ourives em Constantinopla e mais tarde com as pilhagens durante as invasões bárbaras.

Espetacular broche em granada e prata produzido na Inglaterra, entre 1730 e 1740

Espetacular broche em granada e prata produzido na Inglaterra, entre 1730 e 1740

As granadas estiveram em moda na Europa durante os séculos XVIII e XIX, o que pode ser constatado em inúmeras obras de arte que as retratam em joias fantásticas.

As várias espécies de granadaws

As várias espécies de granadaws

Elas não são apenas vermelho escuro. Também são encontradas em laranja, amarelo, verde, azul, roxo, rosa, marrom, preto e incolor. Conforme sua composição química, as granadas são divididas nas seguintes espécies: piropo (um dos tipos derivados é a rodolita), almandina, espessartita, grossulária (idem, tsavorita), demantóide e uvarovita. Elas também variam em transparência, da mais preciosa transparência a mais insignificante opacidade, e em dureza. Há tipos que ganham uso industrial como abrasivos.

Demantóide e Granada Azul (sob luz natural e luz incandescente)

Demantóide e Granada Azul (sob luz natural e luz incandescente)

A mais valiosa e rara espécie é a verde, conhecida como demantóide. Foi descoberta na Rússia em 1851 e recebeu este nome a partir do alemão antigo demant, que significa diamante. A dispersão de luz na demantóide é maior do que nos diamantes e seu brilho é inigualável. Outra espécie rara é a granada azul, descoberta nos anos 90 em Madagascar. Sua beleza vem da presença de vanádio em sua composição, que dá origem a uma estranha variação de cor: exposta à luz do sol, ela apresenta tons de azul e, sob luz incandescente, ela oscila entre o rosa e o roxo.

Granadas da Boêmia - um estilo e uma gema (o piropo). Pente de cabelo em granada, tartaruga e vermeil, aproximadamente 1880

Granadas da Boêmia – um estilo e uma gema (o piropo). Pente de cabelo em granada, tartaruga e vermeil, aproximadamente 1880

A granada da Boêmia (piropo em sua maioria) é conhecida desde sempre principalmente por sua transparência e pela qualidade dos adornos que os joalheiros da região criam com ela. Esta região foi até o final do século XIX a principal fonte desta gema para todo o mundo. Facilmente confundida com um belo rubi, é uma ótima saída para quem quer uma peça em conta e com carão. By the way, piropo significa que brilha como o fogo, em grego.

Cartier – Anel Caresse d’Orchidées em ouro rosa com rodolita central e pavê de diamantes, rubis, rodolitas, rubelitas, e safiras rosa

Cartier – Anel Caresse d’Orchidées em ouro rosa com rodolita central e pavê de diamantes, rubis, rodolitas, rubelitas, e safiras rosa

As rodolitas, que variam do rosa claro ao roxo, foram encontradas no final do século XIX, numa mina americana, na Carolina do Norte. Seu nome vem da flor do rododendro. Hoje em dia elas são abundantes, com minas na Tanzânia, India e Sri Lanka, e muito usadas na joalheria.

Harry Winston Marquesa Tsavorite Cocktail Ring em platina com tsavorita, diamantes lapidação marquesa e pera

Harry Winston Marquesa Tsavorite Cocktail Ring em platina com tsavorita, diamantes lapidação marquesa e pera

Recentemente descoberta (Parque Nacional de Tsavo no Quênia, 1968), a tsavorita conquistou o mercado internacional com seu verde a verde-amarelado muito intenso. Ela vem sendo usada em peças de alta joalheria por todas as grandes casas. Pode ser considerada uma boa alternativa para esmeraldas, já que tem maior limpidez e melhor preço.

Pulseiras em prata 950 e granadas

Pulseiras em prata 950 e granadas

As almandinas, vermelho escuro amarronzado, são hoje a espécie mais comum de granada, chegando ao ponto de serem comercialmente apresentadas como granadas mesmo. Se não são tão valiosas, ainda assim rendem peças muito bonitas. Suas principais minas estão localizadas na Índia, Sri Lanka e Brasil.

Gemas prontinhas para virar joia

Gemas prontinhas para virar joia

Minhas peças de granada preferidas of all times: frescurinha rococó. Conjunto completo em granadas e ouro - colar (desmontável em duas peças), brincos enormes e dois ornamentos de cabelo.

Minhas peças de granada preferidas of all times: frescurinha rococó. Conjunto completo em granadas e ouro – colar (desmontável em duas peças), brincos enormes e dois ornamentos de cabelo.

Tags: ,