Por que será que não conseguimos esquecer da passagem pelo red carpet de Angelina Jolie no Oscar 2009 e de Julianne Moore no Golden Globe 2010?

As esmeraldas são exploradas em minas egípcias há mais de quatro mil anos. Elas eram conhecidas como Minas de Cleópatra e há quem acredite que seja possível localizar novos veios não explorados na região, há muito esgotada. Para os egípcios, esta gema era um símbolo de fertilidade e vida, representando a chegada da primavera nas margens do Nilo. O historiador grego Plínio, o Velho, escreveu sobre as propriedades curativas da esmeralda para a vista, devido à sua cor calmante e suave. Também já foi atribuído a ela o poder de nos tornar mais amorosos, inteligentes e eloqüentes.

Harry Winston, o rei dos diamantes, também gosta de gemas de cor, desde que excepcionais. Vejam só esta esmeralda num dos anéis da série The Incredibles. São 24,52 quilates de esmeralda em lapidação esmeralda (agora dá para entender o nome da lapidação: a gema e o corte nasceram um para o outro), rodeados de 18 diamantes em lapidação marquesa que totalizam 7, 31 quilates. A gema principal está montada sobre ouro amarelo e o restante da peça é de platina. Uau!

Brincos com esmeraldas de 3,11 e 3,12 quilates, diamantes e platina, da Coleção Regal, da Garrard, considerada a joalheria mais importante do mundo atualmente

Há circunstâncias em que a gente tem que aceitar o conjuntinho: estas peças com esmeraldas da Dior Alta Joalheria, por exemplo

A Esmeralda pertence ao grupo dos berilos, composto também pela água marinha, a morganita, o heliodoro e o raríssimo berilo vermelho. O berilo é um minério composto de silicato de berílio e alumínio, sendo raríssimo encontrar gemas realmente sem impurezas. A cor verde é derivada da presença de cromo, ferro e, em alguns casos, vanádio. Seu nome deriva do latim smaragdus, que significa verde!

Pulseira da coleção de alta joalheria da Bvlgari deste ano. Cabochão central de esmeralda com 17,48 quilates primorosamente combinado com esmeraldas menores, granadas tangerina e diamantes sobre ouro amarelo

Anel com cabochão de esmeralda da Coleção Celebrating 125 (years), da Bvlgari

Gaia, a gata com olhos de água marinha ficou apaixonada, durante minhas pesquisas, por um colar de esmeraldas produzido pela Bvlgari para a Marquesa de Paiva, uma super cortesã francesa casada com um nobre português falido – daí o nome, que fez a alegria da corte de Napoleão III. E da joalheria também: durante alguns anos, ela foi sua melhor cliente

Anunciado como uma bela opção para noivado, o anel Bleuet com uma esmeralda levemente azulada com 1,06 quilates e 0,55 quilates de diamantes sobre ouro cinzento, da Maison Mellerio dits Meller vale € 7,000. Isso sem falar no valor da marca: a mais antiga joalheria em operação do mundo e que produziu lindas peças para Maria Antonieta

As minas mais importantes estão na Colômbia, na região de Muzo e Chivor. Os nativos já usavam as esmeraldas em peças de ouro e prata mais de quinhentos anos antes da chegada dos conquistadores. A linda gema virou mania na Europa e frequentemente era lapidada na Índia, outra região que apreciava fortemente sua cor, que combinava com o azul das safiras e o vermelho dos rubis.

Este pingente em forma de dragão alado de esmeraldas e esmalte sobre ouro amarelo é da segunda metade do século XVI. Ele já pertenceu a Coleção Rothschild e hoje faz parte da coleção do comerciante espanhol de joias antigas Luis Elvira. No ano passado, ele foi colocado no mercado por €100,000

Este broche com a esmeralda Hooker, que pesa 75,47 quilates e é considerada de qualidade excepcional, foi doado ao Smithsonian Institution pela Sra. Janet Annenberg Hooker em 1977. Antes disso, a gema já esteve na fivela do cinto de um sultão do Império Otomano e no centro de uma tiara criada pela Tiffany & Co. Em 1950, ela foi transformada no broche acima e, em 1955, comprada pela Sra Hooker. A foto é do catálogo de Natal da Tiffany & Co. e dá uma ideia do tamanho da gema, cuja história remonta ao século XVI e às minas colombianas

Em meados do século XIX, a Bvlgari se tornou famosa pela combinação ousada de cores em suas jóias e por uma atenção especial às esmeraldas em todas as suas coleções. Nos anos 20, a Cartier criou o estilo indiano, combinando essas cores em gemas roladas e, na década seguinte, criou o estilo salada de frutas, dessa vez com gemas lapidadas.

Este colar à esquerda é conhecido como o Colar da Inquisição Espanhola. Só a esmeralda central pesa 45 quilates e junto com os diamantes foi lapidada na Índia, no século XVII. Ele já pertenceu à Coroa Espanhola, à realeza francesa, à joalheria Harry Winston e à Sra. Cora Hubbart Williams, que o doou ao Smithsonian Institution em 1972. À direita, um colar Cartier estilo indiano criado em 1928-29. Ele pertenceu à Marjorie Merriweather Post até sua doação para o Smithsonian em 1964. O colar com o pendente enorme (a esmeralda colombiana sozinha pesa 168 quilates) foi criado em estilo déco pela Cartier em 1931 para ser dado como presente de casamento por Clarence H. Mackay para sua esposa Anna Case, prima donna da New York Metropolitan Opera na época. Ela doou a peça para o Smithsonian em 1984

Esta é uma das peças de esmeralda de que eu mais gosto. Ela representa o estilo Indiano, criado pela Cartier nos anos 20. O colar tem 29 esmeraldas colombianas de tirar o fôlego. Na foto, David F. Zannuck da Twenty Century Fox troca uma ideia com Merle Oberon estrela da companhia e feliz proprietária da peça. Ela ficou namorando com o colar na Cartier de Paris dias a fio e quase o perdeu para Elza Schiaparelli que também estava interessada

Marlene Dietrich apreciava esmeraldas em lapidações inusitada. Observem o tamanho destes cabochões: o da pulseira tem 128 quilates e o do broche, 97. Ambas as peças são da Trabert & Hoeffer-Mauboussin. Ela foi a garota propaganda da joalheria na década de 30. Estas peças aparecem no filme Desire de 1936 (foto) e Angel de 1937. Outra curiosidade: Mr. Hoeffer foi o primeiro joalheiro a aparecer nos créditos de um filme de Hollywood. Claudette Colbert usou peças suas em Gilded Lily de 1935 e no final do filme podia ser lido “joias criadas por William Howard Hoeffer”

Que Elizabeth Taylor ama joias todo mundo sabe, mas alguém já percebeu a beleza das esmeraldas de sua coleção? Todas Bvlgari, diga-se de passagem. O broche e o anel no mesmo formato foram presentes de casamento de Richard Burton. Adoro ver peças mutantes. Um broche aparece pendendo do colar e o outro broche tremblant (com partes móveis que balançam ao menor movimento) é usado como tiara

A esmeralda é uma das gemas mais caras que existe, por causa da raridade da ocorrência de gemas livres de inclusões e com lapidação perfeita. Isto se deve à sua composição química e também a uma certa fragilidade da gema. Ela é um dos terrores dos cravadores, que sabem seu valor e as chances de que ela seja trincada ou lascada durante seu trabalho. Cuidem de suas esmeraldas, nunca lave louça ou coloque um prato no forno usando um anel de esmeralda. Segundo minha professora de gemologia, durante as festas de fim de ano isto é mais comum do que podemos imaginar.

Aquela famosa cravação invisível da Van Cleef & Arpels se reúne ao verde das esmeraldas para criar o clip Feuille de Vigne: a folha de vinha mais realista que a joalheria pode conceber. Simples e fantástica

Outra representação da flora, o clip Dahlia pertence à extensa coleção de flores com diamantes desenhada por Jean Schlumberger. Este exemplar ainda hoje pode ser encontrado no catálogo da Tiffany & Co. A esmeralda pesa 5,38 quilates e está no centro de 13,27 quilates de diamantes sobre platina

Ainda temos alguns dias do Festival de Cannes para ver se alguma celebridade vai usar este anel de esmeraldas da Coleção Red Carpet 2010, da Chopard

No início do mês, mais algumas peças da coleção particular da Sra. Lilly Marinho foram a leilão na Sothebys. Ela está organizando seus bens para os herdeiros. Este espetacular conjunto de esmeraldas foi vendido a um comprador americano por R$ 1,78 milhões. Ainda segundo ela, não haverá um quinto leilão, já que só restam bobagens em sua residência no Cosme Velho, Rio de Janeiro. Eu me habilito para algumas bobagens e você?

Elas costumam apresentar falhas e inclusões de fluidos e minerais que não tem nenhuma relação com sua composição e que são chamadas pelos negociantes da gema de jardines (em espanhol mesmo). As inclusões são características do solo de cada região e permitem rastrear a origem de uma gema. Além das colombianas, há minas de esmeralda na Zâmbia, no Brasil (maior produtor), na Rússia, no Zimbábue, no Paquistão e no Afeganistão.

Pulseira de esmeraldas com centro de berilo sobre ouro amarelo, de Laura Cunha

Pingente de matriz de esmeralda e prata, da minha coleção Bahia, Brasil

Este post completa a série de 12 gemas do mês, mais o post inicial sobre o tema. Inventarei alguma coisa para dar continuidade a esta paixão. Por enquanto, aproveito para dedicá-lo ao José, que todos os meses aguenta firme minha obsessão por uma gema diferente.

Tags: , , , ,