Marilyn explicou para todo mundo porque os diamantes são os melhores amigos de uma garota

Marilyn explicou para todo mundo porque os diamantes são os melhores amigos de uma garota

Nada de quilates, lapidações, claridade e cores; falsificações e tratamentos. Ou os maiores, os mais caros, os mais famosos.  Nem mesmo causos, histórias e afins. Apenas um apanhado de tudo o que me passou pela cabeça quando comecei a pensar na gema de abril. Seriam necessários vários posts para dar conta das principais informações sobre esta gema fascinante e faiscante  (sorry, não resisti…) Algumas histórias e informações já estão aqui, na tag diamantes. Outro post virá com tudo que você sempre teve vergonha de perguntar porque toda mulher deveria saber desde o berço.

Este é um anel de noivado para ninguém botar defeito. A De Beers criou este anel de platina com o que ela produz de melhor em termos de diamantes são nove quilates de perfeição. O noivo tem que desembolsar US$ 1,83 milhões antes de se ajoelhar diante de sua amada

Este é um anel de noivado para ninguém botar defeito. A De Beers criou este anel de platina com o que ela produz de melhor em termos de diamantes. São nove quilates de perfeição. O noivo tem que desembolsar US$ 1,83 milhões antes de se ajoelhar diante de sua amada

 

Elizabeth Taylor, de quem os diamantes são amigos mesmo. Para fugir do óbvio, que seria o diamante Taylor-Burton, aqui o diamante Krupp com 33,19 quilates em lapidação Asscher, presente do maridão Mike Todd

Elizabeth Taylor, de quem os diamantes são amigos mesmo. Para fugir do óbvio, que seria o diamante Taylor-Burton, aqui o diamante Krupp com 33,19 quilates em lapidação Asscher, presente do maridão Mike Todd

Já que nem todo mundo tem os maridos e o cacife de Taylor, Elsa Peretti resolveu fazer joias para mortais. Ela explicou, na entrevista de lançamento da coleção Diamond by the Yard para a Tiffany & Co em 1974, que desenhava joias para  as meninas que trabalham e que não queria ser um símbolo de status, mas oferecer beleza a preços  acessíveis

Já que nem todo mundo tem os maridos e o cacife de Taylor, Elsa Peretti resolveu fazer joias para mortais. Ela explicou, na entrevista de lançamento da coleção Diamond by the Yard para a Tiffany & Co em 1974, que desenhava joias para as meninas que trabalham e que não queria ser um símbolo de status, mas oferecer beleza a preços acessíveis

Em 2005, como desdobramento de um trabalho de pós-graduação, Laetitia Cohen-Skalli criou a Redline, marca de joias-amuleto com diamantes, para estudantes e mulheres em início de carreira que não querem esperar para ter seu primeiro bling. Os diamantes são cravados em ouro amarelo, branco, rosa e negro. Os cordões são muito resistentes e oferecidos em 49 cores, além da inicial vermelha. O número de coleções aumenta a cada ano. Os preços são maravilhosos e a Redline é um sucesso incrível na França e já exporta para muitos países

Em 2005, como desdobramento de um trabalho de pós-graduação, Laetitia Cohen-Skalli criou a Redline, marca de joias-amuleto com diamantes, para estudantes e mulheres em início de carreira que não querem esperar para ter seu primeiro bling. Os diamantes são cravados em ouro amarelo, branco, rosa ou negro. Os cordões são muito resistentes e oferecidos em 49 cores, além da inicial vermelha. O número de coleções aumenta a cada ano. Os preços são maravilhosos e a Redline é um sucesso incrível na França e já exporta para muitos países

Mas voltando ao mundo dos sonhos (tatalmente gratuito), Este é um daqueles diamantes perfeitos: são 30,48 quilates de um diamante cor D (incolor), internamente puro, tipo IIa e lapidação oval. Ele foi leiloado na Sothebys em dezembro de 2009 e alcançou o valor de US$ 4.114.500,00

Mas voltando ao mundo dos sonhos (totalmente gratuito), este é um daqueles diamantes perfeitos: são 30,48 quilates de um diamante cor D (incolor), internamente puro, tipo IIa e lapidação oval. Ele foi leiloado na Sothebys em dezembro de 2009 e alcançou o valor de US$ 4.114.500,00

Diamantes coloridos de excepcional qualidade podem ser mais caros que um diamante incolor. Estes aqui também foram leiloados na Sothebys recentemente: diamante azul com 5,16 quilates da coleção De Beers Millennium Jewels; diamante verde com 2,52 quilates; e diamante rosa com 5 quilates da Graff. Para completar, o raríssimo diamante vermelho (da mina australiana Argyle) com 0, 82 quilates, que vai a leilão na Austrália no dia 12 de abril de 2010

Diamantes coloridos de excepcional qualidade podem ser mais caros que um diamante incolor. Estes aqui também foram leiloados na Sothebys recentemente: diamante azul com 5,16 quilates da coleção De Beers Millennium Jewels; diamante verde com 2,52 quilates; e diamante rosa com 5 quilates da Graff. Para completar, o raríssimo diamante vermelho (da mina australiana Argyle) com 0, 82 quilates, que vai a leilão na Austrália no dia 12 de abril de 2010

The Ribbons Necklace com o Tiffany Diamond (128,54 quilates) não aparece no filme Breakfast at Tiffany's, mas Audrey Hepburn o usou em fotos de publicidade do filme. Três desenhos foram feitos por Jean Schlumberger in 1956: como colar foi montado em 1960 e como o broche Bird on a Rock em 1995. A frase é da personagem Holly Golightly, que não achava "apropriado" usar diamantes antes dos 40

The Ribbons Necklace com o Tiffany Diamond (128,54 quilates) não aparece no filme Breakfast at Tiffany’s, mas Audrey Hepburn o usou em fotos de publicidade do filme. Três desenhos foram feitos por Jean Schlumberger in 1956: como colar foi montado em 1960 e como o broche Bird on a Rock em 1995. A frase é da personagem Holly Golightly, que não achava “apropriado” usar diamantes antes dos 40

Um jeito diferente de cravar seu bling, The Tension Ring foi desenvolvido para a joalheria alemã Niessing por Walter Wittek em 1979 e continua um símbolo do design moderno

Um jeito diferente de cravar seu bling, The Tension Ring foi desenvolvido para a joalheria alemã Niessing por Walter Wittek em 1979 e continua um símbolo do design moderno

Precursor, Todd Reed abusa dos formatos originais do diamante e das lapidações antigas para criar peças maravilhosas desde 1992

Precursor, Todd Reed abusa dos formatos originais do diamante e das lapidações antigas para criar peças maravilhosas desde 1992

As joias da Diamond in the Rough são lindas e revelam a beleza dos diamantes brutos

As joias da Diamond in the Rough são lindas e revelam a beleza dos diamantes brutos

Voltando à tradição... Brincos com 41.78 quilates de diamantes formato pêra e coração. Anéis de lapidações diversas e variando de 25 a 40 quilates, mais um anel Eternity com 9,06 quilates de diamantes. Este conjuntinho eu usaria: 204, 91 quilates de diamantes em lapidação esmeralda distribuídos em colar e pulseira, mais dois anéis de 40,06 e 28,76 quilates na mesma lapidação, ambos de cor e pureza excepcionais. Todos da joalheria inglesa Graff, que de acordo com Luxury Brand Status Index que acaba de sair é a marca mais importante do ramo

Voltando à tradição… Brincos com 41.78 quilates de diamantes formato pêra e coração. Anéis de lapidações diversas e variando de 25 a 40 quilates, mais um anel Eternity com 9,06 quilates de diamantes. Este conjuntinho eu usaria: 204, 91 quilates de diamantes em lapidação esmeralda distribuídos em colar e pulseira, mais dois anéis de 40,06 e 28,76 quilates na mesma lapidação, ambos de cor e pureza excepcionais. Todos da joalheria inglesa Graff, que de acordo com Luxury Brand Status Index que acaba de sair é a marca mais importante do ramo

Para completar, umas peças coloridas. Diamante amarelo com 9,13 quilates em lapidação esmeralda, diamante azul com 10,64 quilates em formato pêra e diamante rosa com 6,43 quilates em formato octogonal, da Graff

Para completar, umas peças coloridas. Diamante amarelo com 9,13 quilates em lapidação esmeralda, diamante azul com 10,64 quilates em formato pêra e diamante rosa com 6,43 quilates em formato octogonal, da Graff

No outro extremo do espectro, temos a Louis Vuitton que criou lapidações especiais, mas com qualidade para alta joalheria no formato das figuras de seu logo

No outro extremo do espectro, temos a Louis Vuitton que criou lapidações especiais, mas com qualidade para alta joalheria no formato das figuras de seu logo

Victoria Secret traz como arma secreta de seus lançamentos anuais o Fantasy Bra: aqui os modelos dos últimos anos. Sempre com  top models, milhares de diamantes e valendo alguns milhões de dólares. Nossa übermodel Gisele desfilou o mais caro deles, o modelo Sexy Splendor de 2005. Com um diamante de 101 quilates, ele custava US$ 12,5 milhões

Victoria Secret traz como arma secreta de seus lançamentos anuais o Fantasy Bra: aqui os modelos dos últimos anos. Sempre com top models, milhares de diamantes e valendo alguns milhões de dólares. Nossa übermodel Gisele desfilou o mais caro deles, o modelo Sexy Splendor de 2005. Tinha como detalhe um diamante de 101 quilates e custava US$ 12,5 milhões

Apesar de ter se tornado um ícone fashion nos últimos tempos, Diddy (ou Sean John Combs ou Puff Daddy ou P.Diddy) é e sempre será o rei do bling-bling

Apesar de ter se tornado um ícone fashion nos últimos tempos, Diddy (ou Sean John Combs ou Puff Daddy ou P.Diddy) é e sempre será o rei do bling-bling

O cocktail mais caro do mundo custa onze mil euros e está no cardápio Ritz-Carlton de Tóquio. The-Diamonds-Is-Forever é um martini para lá de vip. Além da vodka Grey Goose bem gelada e uma casquinha de lima, ele traz um diamante de um quilate no fundo da taça. Você bebe o drink e depois leva a gema até a joalheria mais próxima para fazer uma peça sob medida

O cocktail mais caro do mundo custa onze mil euros e está no cardápio Ritz-Carlton de Tóquio. The-Diamond-Is-Forever é um martini para lá de vip. Além da vodka Grey Goose bem gelada e uma casquinha de lima, ele traz um diamante de um quilate no fundo da taça. Você bebe o drink e depois leva a gema até a joalheria mais próxima para fazer uma peça sob medida

Vik Muniz realizou o trabalho Divas in Diamonds and Monsters in Caviar em 2005. Os diamantes foram fornecidos pela De Beers. Detalhe da boca de Marlene Dietrich

Vik Muniz realizou o trabalho Divas in Diamonds and Monsters in Caviar em 2005. Os diamantes foram fornecidos pela De Beers. Detalhe da boca de Marlene Dietrich

For the love of God - Damien Hirst, 2007. Escultura de caveira humana em tamanho real, encrustada com 8.000 diamantes. O autor explicou: eu só quero celebrar a vida, dizendo dane-se a morte. Que melhor maneira de dizer isso do que usar o símbolo máximo da morte e cobri-lo com o símbolo máximo do luxo, desejo e decadência

For the love of God – Damien Hirst, 2007. Escultura de caveira humana em tamanho real, encrustada com 8.000 diamantes. O autor explicou: eu só quero celebrar a vida, dizendo dane-se a morte. Que melhor maneira de dizer isso do que usar o símbolo máximo da morte e cobri-lo com o símbolo máximo do luxo, desejo e decadência

Morbidez por morbidez, a empresa LifeGem fabrica diamantes a partir das cinzas de seres humanos. Ela promete lançar em breve o mesmo serviço para os restos mortais de animais de estimação. Você usaria um parente ou um pet no pescoço ou no dedo?

Morbidez por morbidez, a empresa LifeGem fabrica diamantes a partir das cinzas de seres humanos. Ela promete lançar em breve o mesmo serviço para os restos mortais de animais de estimação. Você usaria um parente ou um pet no pescoço ou no dedo?

E por falar em morte, a personagem de Djimon Hounsou acha um enorme diamante em Serra Leoa. Até o início do milênio, ninguém se preocupava com a origem dos diamantes que usava. Em maio de 2000, foi criado o Kimberley Process Certification Scheme, para impedir que os diamantes de sangue entrem no mercado internacional e alimentem a economia de conflitos que dizimam populações inteiras das aldeias ao redor das regiões de mineração. O filme é para ser assistido e os diamantes sem certificado para ser evitados

E por falar em morte, a personagem de Djimon Hounsou acha um enorme diamante em Serra Leoa. Até o início do milênio, ninguém se preocupava com a origem dos diamantes que usava. Em maio de 2000, foi criado o Kimberley Process Certification Scheme, para impedir que os diamantes de sangue entrem no mercado internacional e alimentem a economia de conflitos que dizimam populações inteiras das aldeias ao redor das regiões de mineração. O filme é para ser assistido e os diamantes sem certificado para ser evitados

Os diamantes eram em sua maioria indianos durante mais de 3.000 anos, até que, no início do século XVIII , o  Brasil passou a ser o grande produtor mundial. Estima-se que 3 milhões de quilates tenham sido extraídos entre 1729 e 1808, sempre com trabalho escravo.  Imagine se isso tudo tivesse que ser certificado.

Boa parte da produção se espalhou pelo mundo em transações comerciais da coroa portuguesa ou simplesmente porque não tínhamos uma indústria vigorosa. Olha só que divertido o desabafo do guarda-joias de D. Maria numa carta:
“Parece serto que sendo Nós os Senhores dos diamantes deveríamos fazer todas as joias guarnecidas destas pedras; mas a primeira dificuldade hé no lavrado dellas, porque em toda esta Corte não há mais que nove lapidarios de brilhantes e estes tão preguiçosos não lavram mais que 10 ou 12 pequenos em menos de hum anno e mais tempo; o segundo emasso he dos ourives que as façam, porque não sendo tambem muitos são rarissimos os bons…” (Revista Oceanos n° 43 – Ourivesaria Luso-brasileira)

Diamantes brasileiros no Alfinete de chapéu de Augusto III da Saxônia, 1768

Diamantes brasileiros no Alfinete de chapéu de Augusto III da Saxônia, 1768

A suprema prova da moda dos diamantes no século XVIII: o desenho do colar que foi o bafo na corte francesa, às vésperas da revolução. Ele foi feito em Paris, em 1770, por Boehmer e Bassenger e está guardado na Torre do Tombo, em Lisboa. Dá para conhecer a história, bem romanceada, no filme O Enigma do Colar (The Necklace), de 2001 com Hilary Swank

A suprema prova da moda dos diamantes no século XVIII: o desenho do colar que foi o bafo na corte francesa, às vésperas da revolução. Ele foi feito em Paris, em 1770, por Boehmer e Bassenger e está guardado na Torre do Tombo, em Lisboa. Dá para conhecer a história, bem romanceada, no filme O Enigma do Colar (The Necklace), de 2001 com Hilary Swank

Anotem da agenda, no dia 22 de abril de 2010, o diamante do Imperador Maximilian vai à leilão na Christie’s de Nova York. Trata-se de um diamante cor I e inclusões internas muito pequenas, com 39,55 quilates em lapidação cushion e montado em platina. O diamante foi comprado por Maximilian, irmão mais novo de Francisco José da Áustria, durante visita ao Brasil em 1860, imediatamente antes de se tornar imperador do México por determinação de Napoleão III, em 1864. Conta a lenda que estava com ele no momento em que foi executado por um pelotão de fuzilamento, em 1867, após ser abandonado à própria sorte pelos franceses. O diamante foi entregue à viúva Princesa Charlotte da Bélgica e passou por diversos proprietários, entre eles o negociante de gemas Ferdinand Holtz, um colecionador novaiorquino anônimo, o joalheiro londrino Laurence Graff, Imelda Marcos e dois colecionadores anônimos. A joia com mais de 150 anos de história está estimada em 1,5 milhões de dólares. Para aqueles afortunados que não têm problema de orçamento, fica a dica, rs

Anotem da agenda, no dia 22 de abril de 2010, o diamante do Imperador Maximilian vai à leilão na Christie’s de Nova York. Trata-se de um diamante cor I e inclusões internas muito pequenas, com 39,55 quilates em lapidação cushion e montado em platina. O diamante foi comprado por Maximilian, irmão mais novo de Francisco José da Áustria, durante visita ao Brasil em 1860, imediatamente antes de se tornar imperador do México por determinação de Napoleão III, em 1864. Conta a lenda que estava com ele no momento em que foi executado por um pelotão de fuzilamento, em 1867, após ser abandonado à própria sorte pelos franceses. O diamante foi entregue à viúva Princesa Charlotte da Bélgica e passou por diversos proprietários, entre eles o negociante de gemas Ferdinand Holtz, um colecionador novaiorquino anônimo, o joalheiro londrino Laurence Graff, Imelda Marcos e dois colecionadores anônimos. A joia com mais de 150 anos de história está estimada em 1,5 milhões de dólares. Para aqueles afortunados que não têm problemas de orçamento, fica a dica, rs

Tags: , , , ,