Anel Claddagh com diamantes em ouro amarelo

Anel Claddagh com diamantes em ouro amarelo

Pessoal, nos próximos dias responderei a várias perguntas que foram passadas por escrito durante a palestra e também a algumas outras muito interessantes que foram feitas durante ou logo após a apresentação. No final, prometo minhas impressões pessoais.

Aline me pergunta o seguinte:
“Durante a palestra aparece no primeiro slide sobre a Renascença um anel atribuído à Alemanha ou França que era utilizado entre acordos entre senhores (duas mãos segurando um coração coroado). De acordo com meu conhecimento sobre este símbolo específico, ele é relacionado a clãs da Irlanda (ou possivelmente Escócia) denominada Klada (perdão mais não tenho certeza se o nome se escreve dessa maneira). Seria possível verificar este único dado, também não tenho 100% de certeza, mas vale a pena verificar duas vezes.”

Aline tem em parte razão. Como estávamos apenas dando um panorama muito breve, nem todas as joias de cada conjunto foram explicadas como deveriam e não mencionei a relação com a Irlanda, dando destaque para o outro anel.

O anel Claddagh está fortemente associado à Irlanda, já que desde de meados do século 17, ele vem constantemente sendo produzido com o formato que conhecemos hoje, na região de Galway, onde antes era a antiga vila de Claddagh. Ele é essencialmente um anel de compromisso – noivado ou casamento, no qual as mãos dadas significam amizade, o coração é o amor e a coroa representa a lealdade.

(Curiosidade: quando usado na mão direita e com o coração apontando para os dedos, isto significa que a pessoa está solteira; quando usado nesta mesma mão com o coração apontando para o pulso, a pessoa está apaixonada, mas não comprometida.)

Acontece que antes disso, já existia desde a Antiguidade e em várias regiões da Europa o anel Fede, que por sua vez tem sua origem no anel romano da Concórdia. Nele aparecem apenas duas mãos dadas, foi na Renascença o coração passou a fazer parte da composição. Algumas fontes creem que as mãos dadas falavam da ligação entre guerreiros, soldados, cavalheiros. Este forte vínculo teria sido transposto para os amantes depois do surgimento do amor cortês e do amor romântico. Outras fontes apresentam o Fede como um anel de compromisso entre um casal.

O anel menor é um anel romano Concordia de aproximadamente 400 aC em ouro com duas mão entrelaçadas em relevo. Ele foi leiloado pela Christie's em 1999

O anel menor é um anel romano Concordia de aproximadamente 400 aC em ouro com duas mão entrelaçadas em relevo. Ele foi leiloado pela Christie’s em 1999

Daí as duas imagens naquele slide:

Anel em ouro, realizado na França ou na Alemanha em meados do século XVI. Ele está exposto no Museu de Artes Decorativas de Paris e faz parte do livro The Ring - Design: Past and Present, de Sylvie Lambert  editado na Suíça pela Roto Vision em 1998

Anel em ouro, realizado na França ou na Alemanha em meados do século XVI. Ele está exposto no Museu de Artes Decorativas de Paris e faz parte do livro The Ring – Design: Past and Present, de Sylvie Lambert editado na Suíça pela Roto Vision em 1998

Anel Claddagh contemporâneo em prata, da Royal Claddagh

Anel Claddagh contemporâneo em prata, da Royal Claddagh

 

 

 

Tags: , , , , , ,